Como podemos te ajudar?

Violência contra a mulher é discutida na Única de Ipatinga

Ação é voltada para o Outubro Rosa

Por Mara Veiga

Para Celina, é preciso acabar com a desigualdade de gênero.

Os alunos dos cursos de Enfermagem, Direito, Farmácia e Psicologia participaram na noite do dia 23, no auditório 324, da Única de Ipatinga, de uma discussão acerca do Feminicídio. A importância do debate da temática no ambiente acadêmico se justifica pelo alto índice de crimes cometidos contra a mulher.

Alcina mostrou algumas das atitudes que levam ao feminicídio.

O evento foi conduzido pelo professor Moisés Arimatéia, que agradeceu o apoio da faculdade em eventos de temas de grande relevância para a sociedade, e principalmente, para os futuros profissionais.

Os presentes puderam assistir a duas palestras. A primeira foi conduzida pela Diretora do SINPRO MINAS – CONTEE e CTB, Celina Alves Arêas, que trouxe um olhar cultural da violência contra a mulher. Segundo ela, “o alvo da luta é o padrão dominante em relação ao gênero e que isso precisa ser mudado”. A palestrante citou ainda alguns dos direitos que as mulheres conquistaram, como voto e a Lei Maria da Penha. “Já avançamos muito, mas ainda estamos longe de acabar com essa desigualdade de gênero”, completou.

A segunda palestrante da noite foi a professora da Única, Alcina Gonçalves. Ela falou sobre aspectos psicológicos relacionados à violência contra a mulher. “Antes que o feminicídio aconteça, a mulher é exposta à vários tipos de agressões, inclusive a psicológica, talvez, por isso, seja tão difícil denunciar”.

 

Postar um Comentário